Marajoara



Boa alimentação também é aliada no combate ao Coronavírus

17/03/2020 - Notícias

Além da higienização frequente das mãos, uma alimentação saudável e equilibrada, com o consumo de alimentos que fortalecem o sistema imunológico, também ajudam no combate da doença. Segundo nutricionista, leite é um desses itens que ajudam nas defesas do organismo

Apesar de a higienização ser a principal forma de evitar o contágio, a alimentação também é uma forte aliada para fortalecer o sistema imunológico e na recuperação da doença. “Os nutrientes e vitaminas são essenciais para ajudar o organismo na defesa e na reabilitação da doença”, destaca a nutricionista Carolina Fernandes Nobre, que atende no Órion Complex.

Segundo a profissional, minerais como o Zinco e as proteínas estão entre os elementos que ajudam no fortalecimento do sistema imune e, consequentemente, no combate ao Coronavírus. “O zinco é um mineral importante para ativar o sistema de defesa e está presente nas oleaginosas como castanha de caju, nozes além da carne vermelha. O leite, especialmente se for enriquecido com vitaminas, contribui como fonte de proteínas que repõem as energias nas células”, destaca a nutricionista. Outras duas substâncias que são essenciais para a imunidade humana são a vitamina D, que pode ser obtida por meio da exposição solar, e a vitamina C, presente nas frutas cítricas como a acerola, laranja e limão. Essas vitaminas auxiliam e potencializam o sistema imunológico”, afirma Carolina Nobre.

Os benefícios do leite

No caso do leite, um estudo publicado pelo Journal of Nutrition, da Inglaterra, aponta para seu importante papel no fortalecimento do sistema imunológico e como ele se torna um grande aliado junto as ações de prevenção ao Coronavírus (Covid-19). Isso porque o leite é a principal fonte natural de cálcio, mineral que tem um papel central na regulação, sobrevivência, ativação e proliferação de células do sistema imune, como os linfócitos, essenciais para combater as infecções.

Não por acaso, outra matéria publicada no portal TERRA VIVA, repercute um boletim da Embaixada do Uruguai na China que divulgou informações através do Instituto Nacional do Leite (Inale). O documento destaca que no país asiático as indústrias de laticínios estão incentivando o consumo de seus produtos em toda a população, para as grávidas ou lactantes por exemplo, a indicação de consumo é de pelo menos um litro e meio por dia. O texto mostra que já houve um aumento de 13% no consumo no País, segundo a Consultoria IPSOS, que realiza pesquisa de mercado.